Amanhece...
Tudo é Você... Tudo é Você...
A Viagem e o Viajante...
Não há nada fora, além de uma caixa de espelhos.
A certo Momento, fecha-se os olhos a ela...
E Desperta-se Lá... nas Dimensões internas.

E nenhum coração pulsa só...
Nenhum coração pulsa por si.
Todo Coração Canta em Si...
Ainda que os olhos não vejam.

Então...
Como contas em um colar que não tem fim,
pois o Círculo é Esfera em outra Dimensão
Seja os meus olhos, que Eu Sou os Seus...
Seja os meus braços, como Eu Sou no Abraço...
"Tão mais fácil Condução assim..."
Amor
Ecoa...
E o que ecoa está cumprido.

Salve!
.

Abra os olhos

Abra os olhos
Só há UM aqui... Amor.

terça-feira, 16 de junho de 2009

(Perdão)

António Rosa promoveu um diálogo sobre o perdão,
que pode ser visto aqui.

Perdoar... ser perdoado.
Vasto tema.
Registros ancestrais.
A respeito dele, uma passagem, no Livro de Mirdad, é reveladora:
“A vítima ergue o punhal e o agressor desfecha o golpe”.

Acredito que o desafio do perdão é sempre uma via para o auto-perdão.
O outro cumpre apenas o papel de nos fazer ouvir sobre o que escolhemos como enredo, para nos perdoar.
Mesmo naquilo que aparentemente é indireto...
Uma escolha que o ego está longe de compreender em 3ª Dimensão.

E, quando a peregrinação pelo auto-perdão se encerra, não há mais o que perdoar.
Então, segue a gratidão.

E com ela, a compaixão... a compreensão amorosa.
Compreender é abraçar.

Abraçar com Amor.

Quem puxa a fila para a Nova Terra são aqueles que ouvem o coração.
O ego não é capaz de ouvir o coração.
É preciso passar pelo deserto do auto-perdão, pela gratidão, pela compreensão amorosa... para alcançar o coração.
Neste trajeto, o ego foi deixado para trás.
E este, será o único a ser deixado... como a pedra... para trás porque todas as partes de nós seguem o curso, o fluxo... cada qual ao seu ritmo... para que a fila se torne uma espiral.

Estamos participando da liberação de memórias coletivas.
Registros cármicos.
Que tenhamos a Coragem... ação do coração... para avançarmos rumo ao Norte.
De volta ao Lar.

12 comentários:

Astrid Annabelle disse...

Adriana!
É exatamente isso...perdoar é uma ação libertadora.
É o largar..o soltar ...o deixar ir.
Ninguém tem o poder de perdoar alguém, pois estaria se colocando acima, ou então, sendo melhor que...para poder discernir se perdoa ou não.
Perdoar é se esvaziar de culpas.
Como você diz de maneira esplêndida:
"Acredito que o desafio do perdão é sempre uma via para o auto-perdão.
O outro cumpre apenas o papel de nos fazer ouvir sobre o que escolhemos como enredo, para nos perdoar.
Mesmo naquilo que aparentemente é indireto...
Uma escolha que o ego está longe de compreender em 3ª Dimensão."
Parabéns por este post.
Um beijo.
Astrid Annabelle

Silvia Freedom disse...

O outro cumpre apenas o papel de nos fazer ouvir sobre o que escolhemos como enredo, para nos perdoar..E assim é!querida obrigada !

António Rosa (José) disse...

Adriana

Excelente exposição e muito completa. O tema da gratidão está pouco desenvolvido (creio eu!) e como está em paralelo com o auto-perdão, é fundamental para a caminhada.

Abraço.

tereza ferraz disse...

E no ato de soltar,damos conta que: o outro no papel foi um mestre, ao nos lemnbrar aqui...e reina a compreensão no aqui-agora.
Lindo Adriana.

adriana disse...

Astrid,
É isso mesmo.
Ninguém tem o poder de perdoar alguém.
E a 3a. Dimensão é uma grande escola para nos ensinar sobre o Amor.
Por isso o perdão é escala fundamental nesta jornada.
Obrigada por seu depoimento!
A&L

adriana disse...

Sil,
Vamos aprendendo...
:)

adriana disse...

António,
O tema da gratidão não foi desenvolvido propositalmente.
Estou aguardando você abrir o post sobre a compaixão.
;)

adriana disse...

Tereza,
Exatamente... o outro é um mestre a nos mostrar aquilo que com ele contratamos para nos lembrar.
A Matemática Divina é perfeita!
A&L

Astrid Annabelle disse...

Adriana!
Uma curiosidade:
A&L
Será ...Amor e Luz?
Bjs
Astrid Annabelle

adriana disse...

Astrid,
É...
Amor & Luz!
Tudo o que precisamos...
Lembrar e reconhecer, não?
:)

Lucia Campos virtual disse...

Que belo post! Mestres adormecidos uns para os outros, mas agora estamos despertando... podemos nos candidatar a discípulos. Viva!

adriana disse...

:)